sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Chumaca Fedorenta

Como já disse anteriormente, eu tenho uma relação de amor e ódio com meu cabelo, porque ele simplesmente tem vida própria...
Esses dias eu estava futucando fotos antigas e percebi as diversas fases desse ser que habita minha cabeça, vejamos:

1) Sem cabelo

Quando eu nasci eu era careca. Tudo indicava que eu seria uma criança loira, contrariando a genética de ter um pai mulato e uma mãe com o cabelo escuro...O que vocês sabem, não acabou acontecendo...


2 meses


2) Cachinhos dourados

Mais tarde, meu cabelo ficou mais ou menos cacheado. Mais ou meeeenos, mais ou meeeenos, porque eu tinha uma franja engraçada, que não era muito decidida...

2 anos


3) Sem forma

Quando eu era criança, meu cabelo não tinha uma forma muito definida. Muito culpa da minha mãe que adorava penteá-lo seco, mas fato é que ele era meio indeciso...


5 anos




4) Com cachos e comprido

Quando eu tive idade para cuidar do meu cabelo, eu decidi deixa-lo à vontade. E isso significava passar alguns dias sem penteá-lo. Mas ele era até bacana, quando tava limpo e penteado...

10 anos

16 anos

5) Com cachos e curto

Mas, às vezes eu me enfezava, e metia a tesoura no bichinho, reduzindo ele a um tamanho que me fosse possível penteá-lo todos os dias sem ficar com tendinite. Eu adoooooro. Mas o meu irmão, que é o cara da tesoura daqui de casa, odeia! Diz que eu perco meu poder. E eu lá sou heróina de HQ para ter poder, imundice?

17 anos

18 anos

21 anos

21 anos

6) Sem cachos

Durante a adolescência (e início da vida adulta), por diversas vezes, eu enchia o saco de ter que cuidar do meu cabelo e experimentava a versão lisa dele. O interessante é que sempre agradava muita gente, inclusive eu. Mas todo mundo sempre preferiu ele ao natural...

14 anos

18 anos

23 anos

7) Penteados

Nunca tive saco para pentear o cabelo, mas se tinha uma coisa que eu adorava era enchê-lo de tranças.
Eu fazia isso com uma certa regularidade e foi graças a esse hábito maluco que o Danilo reparou em mim, há uns 9 anos atrás...

14 anos


16 anos

7) Colorido

Durante um curto período da adolescência eu inventei de pintar o cabelo com papel crepom. Felizmente eu não tenho fotos dessa época, mas em breve pretendo fazer uma californiana só pra relembrar os velhos tempos de shampoo de camomila e muito sol na cabeça...

7 anos


beijo grande!
=*

------

Título do post em homenagem aos meus amigos Caio e Wagner que assim batizaram meu cabelo...


quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Da série: Cinco coisas sobre mim... (7)

Sobre a minha adolescência
(com imagens)

1) Amores platônicos
1.1) Fui apaixonaaaaaaaada por um moleque durante anos e quando ele, finalmente, notou que eu existia e pediu para "ficar" comigo eu me apavorei e disse NÃO! (Whaaaaaat?) Até hoje ele joga isso na minha cara!
1.2) Aos 11 anos eu curtia um carinha 11 anos mais velho! (Ahhhhh danaaaaada - como diria meu amigo Hermes). Obviamente nada rolou, mas eu fantasiava altas cenas de romance usando minha Barbie e meu Ken.
1.3) Era louca pelo ator Daniel Radcliffe e por muitas vezes ensaiei um romance com ele! Olhando friamente para esse passado, não consigo entender o porquê disso, já que ele nem bonito é!

Aos 13 anos, apaixonada por alguém, com certeza!


2) Vaidade Zero 
2.1) Enquanto minhas amigas iam cheias de maquiagem e roupas de marca para a escola, eu mal penteava o cabelo e muitas vezes só acordava de fato já na porta da escola;
2.2) Tinha que arrastar minha prima para comprar minhas roupas, porque nunca tive saco. Mesma prima que sempre fez minhas maquiagens, porque nunca soube;
2.3) A única coisa que eu gostava era de comprar brincos, um mais escroto do que o outro;
2.4) Saco zeroooo para pentear cabelo até hoje! O apelido dele é "chumaca fedorenta", dado pelo meu querido amigo Caio;
2.5) Nunca me tornei vaidosa, mas hoje em dia me arrumo mais (só porque a sociedade exige).

Aos 18 anos. Brinco combinando com a blusa (aff). Cabelo todo desgrenhado.


3) Karate
3.1) Prática esportiva iniciada aos 10 anos e mantida durante toda a adolescência e agora na vida adulta;
3.2) Manteve meu corpo em forma. Tive o mesmo peso e, praticamente, o mesmo corpo dos 12 aos 18;
3.3) Viajei, fiz amigos, me machuquei muito pouco, mantive minha saúde!
3.4) Há alguns meses fiz uma tatuagem: kanji de Karate-Do no pescoço.

Aos 16 anos, competindo na Bahia

Aos 23, primeira tattoo

4) Internet
4.1) Meu presente de 15 anos foi um computador com uma linha telefônica só para mim, para não ter que dividir o espaço com meu padrasto, que ficava monitorando tudo que eu fazia;
4.2) Sempre tive blogs e já tive uma pasta com milhares de gifs animadas para enfeitá-los;
4.3) Aprendi HTML e um pouco de JavaScript sozinha para futucar os templates. Ficava HOOOOOOORAS mexendo em códigos-fontes para colocar o blog com a minha cara!
4.4) Com a história do pulso único, nas férias, eu virava TODAS as noites pesquisando no Google coisas para o blog, montando dolls, conversando (no ICQ e, mais tarde, no MSN) e futucando as vidas das pessoas no Orkut;
4.5) Uma das primeiras coisas que fiz com meu primeiro salário foi colocar a Banda Larga para não ter mais que virar noites em claro...



5) Música
5.1) Sempre tive um gosto bastante eclético: De BackstreetBoys até Nirvana;
5.2) Tinha uma pasta com todas as letras e traduções das músicas e passava boa parte do tempo no computador escutando e cantando;
5.3) Aos 13 anos deixei um pouco de lado as boybands e foquei nas bandas de rock. Minhas preferidas: Limp Bizkit, Linkin Park e Nirvana. Quanto mais barulhentas, melhor! Além disso, baixava todas as músicas com participação do guitarrista "Carlos Santana", que eu achava foda...
5.4) Aos 14, passei a usar as músicas para aprender idiomas e por isso, no meu mp3 player era fácil achar músicas bizarras como "Do Re Mi" do musical "A noviça Rebelde" (inclusive tenho essa música no celular até hoje);
5.5) O Kazaa era o segundo programa mais utilizado, perdendo apenas para o MSN.
5.6) Gostar de música foi de extrema importância quando eu comecei a dançar, aos 16 anos, e era obrigada a conhecer de tudo um pouco para dar aulas de dança de salão.


beijo!
=*

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Da série: "Eu tenho uma pergunta... (18)

O cara que faz o exame admissional é realmente um médico?
Porque me recuso a acreditar que preencher um formulário e medir pressão sanguínea/temperatura corporal seja tudo que ele aprendeu depois de seis anos de faculdade!

O interessante é que, para cumprir uma obrigação trabalhista, eles basicamente se esquecem de cumprir o minimo esperado deles: zelar pela saúde e bem estar do cidadão!
Porque se amanhã ou depois eu tiver um problema de LER, como farei para provar se foi ou não proveniente do meu esforço no trabalho se o cara nem olhou se eu tinha os pulsos inteiros?

A cada novo exame de admissão me admiro mais com o descaso de certos profissionais da área de saúde. Entendo que são zilhões de "pacientes" por dia, mas não fui eu que pus uma arma na sua cabeça para te obrigar a trabalhar com isso, foi?

Pronto, desabafei!

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Da Série: Realizando o sonho #1 (3)

Um mês de espera e só andou isso?

A ansiedade está cada vez maior.
As revistas de decoração estão se acumulando na estante.
Assim como as pastas de fotos com ideias, separadas por ambiente...
Para evitar atrasos nas obras, a construtora não dá opções de mudanças na planta, pelo menos não na unidade que eu comprei. O que dificulta um pouco meu planejamento, já que a planta baixa só nos será entregue junto com a chave, em dezembro do ano que vem! Oo

Retificando uma informação anterior, Danilo voltou atrás e não teremos mais uma festa tradicional de casamento (para minha alegria e desapontamento de muitos).
Mas eu garanto que a nossa comemoração será inesquecível!

2014 será um ano de muitas mudanças, mas eu queria mesmo que já estivéssemos em 2015 e que essas barrinhas já estivessem mais cheias!

Vamos que vamos!

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Da série: "Ahhhh, te amo!" (5)

Ele é perfeito!
É o cara que você pode contar 94h por dia!
Um poço de amor e melação com a esposa!
E o filho que toda mulher sonha em ter!
É o aniversariante de hoje, meu zirmãozinho: Jean Michel!

Juro que lembro de quando minha mãe tirou essa foto!

Três anos de diferença nunca foi problema, já que desde que me entendo por gente nós fazemos quase tudo juntos.
A gente brincava de pique, elástico, corda, boneco (eu com a Barbie e ele com o Power Ranger), futebol na garagem (eu sempre no gol com a famosa "intriga da oposição"), volei na garagem (como? não faço ideia!), porradinha (às vezes séria) e queixo-costela (cócegas, como o nome sugere).
E mesmo depois de velhos, segui seus passos e entrei pro Karate, para que pudéssemos continuar juntos, o máximo que fosse possível.
Ham!

Ele toma conta de mim, não deixando nada de ruim me acontecer.
Lembro que certa vez, quando eu tinha uns 3 ou 4 anos, estávamos no Bosque da Barra e eu saí correndo desembestada. Quando de repente sou agarrada por um Michelzinho aos prantos que, preocupado com os mangues (achando que fosse areia movediça) veio me segurar para que eu não caísse e afogasse até a morte (sim, drama mexicano é de família).
E até hoje ele é assim. De acordo com o Danilo (vocês sabem, meu namorado), meu irmão aperta a mão dele com força, como quem diz "toma tenência, maluco, cuida da minha irmã!"
Diz ele que apenas cumpre uma promessa feita ao nosso pai, quando eu nasci, de que ele sempre cuidaria de mim...

Oinnnnnn...Amo essa foto!


Há dois anos, mais ou menos, ele encontrou a versão feminina dele.
E há pouco mais de quatro meses ela se tornou mais uma Barbosa!
A irmã que a vida me trouxe e que faz com que nossa família seja mais completa! S2


Irmão, embora eu não diga isso com a frequência desejada, eu acho que você sabe (ou imagina) o quanto eu te amo!
Você é uma das pessoas que eu mais admiro e com quem eu quero sempre poder contar!
Sei que nem sempre eu sou a pessoa que você precisa, mas estarei para sempre à disposição na tentativa de fazê-lo feliz!
FELIZ ANIVERSÁRIO!

beijo da zirmãzinha!
RIM...2014


sábado, 25 de janeiro de 2014

Da Série: Jogos da infância

Caderno de perguntas

1.Apresente-se: nome completo e idade
Susan Kate de Melo Barbosa (é, escroto assim mesmo!). 23 anos.
2.Qual seu signo?
Touro. E eu sou muitoooo taurina!
3.Do que mais gosta na sua aparência? E o que mudaria?
Gosto dos meus olhos e do meu cabelo (apesar de que a nossa relação oscila entre amor e ódio).
Mudaria meu nariz de batatinha...
4.Qual foi o seu maior mico?
Já caí tantas vezes (a pé e de bicicleta) que eu nem saberia dizer. Mas acho que algo nesse universo!
5.O que deixa você com raiva?
Muitas coisas: atraso, intromissão, lerdeza, calor, desrespeito, fome...
6.Qual a sua maior qualidade e o pior defeito?
Sou uma pessoa muito comunicativa, com uma facilidade impressionante de me dar bem com a maioria das pessoas. Eu diria que tenho dois grandes defeitos: ansiedade, que me faz ser impaciente e grossa. E sinceridade, que novamente faz de mim uma pessoa estúpida e agressiva.
7.Qual o assunto predileto de sua turma?
Depende da turma...
8.Pratica esportes? Qual o seu favorito?
Sim. Karate, há 12 anos...Mas gosto de assistir futebol, volei e ginástica olímpica e artística.
9.Que estilo de pessoa, mais chama a sua atenção?
Pessoas inteligentes e humoradas.
10. Qual a sua música favorita? E sua banda?
Have you ever really loved a woman do Bryan Adams.
Não tenho banda favorita, sou bastante eclética. 
11. Qual é o filme de sua vida?
Não tenho esse tipo de opinião formada. 
12. O que você mais gosta de comer?
Chocolatinho...
13. Se você fosse um animal, qual seria?
Um bem estressado. Mas, meu namorado diz que eu pareço um suricato.
14. Conte um pouco sobre a melhor festa em que você foi?
Tinha música, bebidas, comidas, amigos...Diferente?
15. Se pudesse ser um personagem de um filme, qual seria?
Um com poderes mágicos, tipo Harry Potter...
16. Que presente gostaria de ganhar?
Uma viagem para Europa.
17. Qual seu programa de televisão favorito?
Eu gosto muito do canal Discovery Home & Health e de seus programas.
18. O que você mais gosta de fazer?
Dormir. Sério! 
19. Quem é o seu(sua) melhor amigo(a)?
Isso é tão anos noventa! 
20. O que você considera importante numa amizade?
Sinceridade e suporte
21. Qual seu ator preferido?
Johnny Wallace (meu irmão imundo).
22. Qual sua atriz preferida?
Rosângela Carreiro de Melo (atriz de dramalhão mexicano)
23. Qual a profissão quer seguir? Por quê?
Eu sou administradora por profissão e queria seguir trabalhando na área financeira.
24. Se você pudesse ter poderes mágicos, qual escolheria?
Aparatar (desaparecer aqui e aparecer ali).
25. O que você carrega na mochila ou na bolsa todos os dias?
Celular, documento, dinheiro...
26. Qual a primeira coisa que gosta de fazer quando acorda?
Dormir mais 15 minutinhos...
27. Gosta de piercing ou tatuagem?
Relativo. Se for maneiro e combinar com a pessoa, sim! Tenho uma tatuagem que gosto bastante!
28. Você prefere o dia ou a noite?
Noite. À noite todos os gatos são pardos. Seja lá o que isso significar...
29. Qual sua cor preferida?
Azul
30. Qual a sua religião?
Espírita kardecista
31. Escreva uma frase que você gosta muito:
"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã. Porque se você parar pra pensar, na verdade não há!"
32. Você tem medo de quê?
De ficar sozinha...
33. Qual artista você gostaria de entrevistar? Por quê?
Michael Jackson. Pra entendê-lo, ué!
34. Qual é a viagem dos seus sonhos?
Europa.
35. O que você faz para melhorar o mundo?
Muito menos do que deveria. Tento fazer as pessoas enxergarem que devem respeitar mais umas as outras.
36. O que você faria ou falaria se encontrasse com seu ídolo numa festa?
"Caralhoooooooo, tu é foda!"
37. O que você gostaria de perguntar para mim? (não há nenhum compromisso de que eu vá responder)
"Você sabe o que é caviar?"
38. O que você gostaria de pedir ao presidente da republica?
Menos roubo, menos imposto, mais qualidade de vida!
39. Se soubesses que o mundo acabaria amanhã, o que você faria hoje?
Provavelmente me apavoraria...
40. Qual seu site preferido?
Google *.*
41. Qual sua revista predileta?
Minha Casa.
42. Qual seu livro preferido?
Eu gosto de alguns autores. Não tenho um título preferido!
43. Qual sua matéria preferida?
Matemática
44. Qual sua opinião sobre as drogas?
É uma droga!
45. Como você imagina que vai estar daqui a 10 anos?
Mais velha! Com um mau humor ainda mais fodido!
46. Conte um dos momentos mais inesquecíveis de sua vida?
Quando eu assinei o contrato da compra do meu primeiro imóvel...
47. Quem você desejaria que um marciano levasse embora da Terra?
Meu vizinho funkeiro...
48. Desenhe você mesma (o):

49. Assinaturas ou escreva seu nome de forma criativa

50. Deixe uma mensagem bem legal para o dono ou dona deste questionário. (Lembre-se que será assim que vou lembrar de você: através de suas respostas e de sua mensagem!).
Eu sei que você tem coisa mais produtiva pra fazer. Então chegou a hora!

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Da Série: Trabalhada na roupinha social... (16)

E então, depois de 1 ano e 5 meses, é a minha vez de dizer adeus aos colegas de trabalho no Banco.

Por que eu quero? Porque eu preciso!
Aprendi alguma coisa? Tudo! Experiência de vida sem comparação!
Conheci gente legal? Pessoas maravilhosas! Fiz amigos que quero carregar pra minha vida!

O conhecimento adquirido será totalmente revertido em resultados (acadêmicos e profissionais), sem dúvida! Não existe pós-graduação nesse país que te ensine a encarar as adversidades do cotidiano de uma agência bancária.

De certa forma, o balanço é positivo!
É um passado, ainda recente,que foi muito importante no meu crescimento pessoal e profissional!

Agora é vida que segue, que venham os próximos desafios!

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Da Série: Twittando no Blogger... (40)

Falta aquele pinguelo para eu cair na real e entender que minha vida está para virar do avesso! Alívio engasgado e felicidade estampada no olhar...

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Da Série: Rapidinha da mamãe (14)

E tava a minha mãe limpando a casa e reclamando.

Mãe: Ahhhh, preciso emagrecer!
Susan: ...
Mãe: É uma das minhas metas para esse ano. Emagrecer, começar as obras em Araruama...
Susan: Hum. Mas você comprou a esteira e não usa.
Mãe: É que eu tenho que me organizar pra isso. Acordar 6h da manhã pra ter como fazer tudo...
Susan: Vamos fazer o seguinte. Vamos marcar uma nutricionista, depois a gente faz um esquema de alternar esteira e corda, com exercícios no chão, tipo abdominal...
Mãe: É, porque se alguém fizer comigo eu me animo, mas é que, pra falar a verdade, eu não me animo de fazer sozinha.
Susan: É, eu sei...
Mãe: Eu podia ir pra academia, mas é que eu não gosto daqueles ferros. EU TENHO ÓDIO DAQUELES FERROS!
Susan: Hahahahahaahaha!

Tá, né? Há muitas coisas odiosas em uma academia: a música, o cheiro, as piriguetes, as pessoas que ficam dividindo aparelhos e mudando todas as configurações e, claro, os ferros!

Só ela...

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

As coisas acontecem nos momentos que têm que acontecer.

Como espírita, acredito que todos temos um certo plano geral para nossas vidas, bem como mentores, que nada mais são do que espíritos amigos, que nos observam e nos intuem todos os dias.
Você pode chamá-los de anjos. Tanto faz!

A questão é que hoje quero agradecer a Deus e aos meus mentores por tudo que têm acontecido!
Cada dificuldade superada é um degrau para a minha evolução.
Mas, reconhecer minhas limitações e buscar alternativas é muitas vezes, o caminho mais inteligente a ser seguido!

Ter fé não exclui a necessidade de fazer por onde.
É apenas uma força extra na hora de caminhar, sabendo que, no momento certo, aquilo que tanto se almeja será alcançado!

Aos 23 anos eu entendo ainda pouco sobre o assunto.
Mas busco, através de orações e estudo, entender um pinguelésimo a mais, todos os dias.

Um beijo grande e muita paz!

domingo, 19 de janeiro de 2014

sábado, 18 de janeiro de 2014

Da Série: Cada uma que me acontece...(6)

Essa aconteceu beeeeeem no início da faculdade, há uns 5 ou 6 anos atrás.

Meus colegas de turma descobriram que eu havia sido bolsista em uma escola de dança de salão e combinaram uma noitada na Lapa, para dançar o velho e bom forró.
Mas acontece que às 2h, tava geral morto com farofa, querendo nanar o sono dos anjos.

Eu, que não queria ser deixada lá sozinha, acompanhei, a contragosto, meus amigos.
Não me entendam mal, também estava cansada. Mas é um cu sair da Lapa antes das 5h da manhã.
Recebi uma carona amiga até o ponto de encontro da ida.
Note, eram bem umas 3h da manhã quando eu desci do carro da coleguinha, em frente à UERJ, local habitado por seres absurdamente assustadores a essa hora.

Cabe ressaltar que eu estava vindo de um forró, portanto, vestida que nem uma puta usando um short curto e uma camiseta grudada. Sorte minha é que, como o dia havia sido instável, eu estava com uma jaqueta de couro na mochila (por que era de couro? Deus sabe!)

Tentei em vão chamar um táxi usando o celular. Zero.
Ninguém disponível, senhora.
E, quando eu achei que seria morta e devorada pelos zumbis do clipe Thriller que estavam ao meu redor, eis que surge a salvação: o famoso 455!

Aliviada, peguei o ônibus, e, após descer, me encaminhei para a praça Afonso Pena, onde eu achava que encontraria uma van. Zero.
Tudo que encontrei foram mais seres bizarros e uma caralhada de táxis, os mesmos que estavam indisponíveis, cujos donos sonecavam gostoso em seus respectivos assentos.

Acordei o que tinha menos cara de maluco e perguntei:
Alto da Boa vista, cê vai?

Como de costume, sentei ao lado do motorista e fui tagarelando para mantê-lo acordado e, consequentemente, sobreviver à noite.
E qual não foi a minha surpresa quando, cerca de 4 quilômetros antes de chegar em casa nos deparamos com uma enoooooooooooooooorme árvore caída na estrada interrompendo a passagem completamente?!

Até ali, o taxímetro estava marcando R$ 35,00.
No meu bolso: R$ 50,00

O cara da Light aproximando-se do táxi deu duas soluções:
Ou tu espera amanhecer e dá a volta pela Floresta da Tijuca, ou tu dá a volta pela Zona Sul e sobe pela Barra.

Aham, senta lá Claudia. Pensei
Mas eu não tenho dinheiro pra isso, moço. Respondi.

E aí o taxista, num ato de humanidade extrema, ligou a luz do carro (aqueeeela, que indica que você chegou ao seu destino) e disse:
Deu R$ 35,00.

 Esqueci de comentar que, nesse ponto, a chuva que estava indo e vindo durante todo o dia, resolveru cair de novo. E dessa vez, com força. 
 
Vesti minha jaqueta de couro e saí do táxi.

Eu: Moço, e agora?
Moço da Light: Olha filha, a árvore derrubou uns fios na queda, se você pisar em um fio desencapado é morte na certa!
Eu (levemente desesperada): Bacana!
Moço da Light: Toma. Pega essa lanterna e toma cuidado! Entrega ela pro outro cara lá na frente.

E foi assim que eu atravessei a árvore. Com um cagaço fudido de morrer eletrocutada e ainda ouvir do além a voz do moço:
Eu avisei, mas a guria teimou.

Até que, meio quilômetro mais tarde, enquanto eu andava em meio a chuva e a escuridão, meu celular tocou. Olhei e vi que eram 4:15.

Eu: Alô?
Mami: Su? Tá tudo bem?
Eu (com voz de cansada): É, to viva, né?
Mami (desesperada): Como assim?
Eu (tentando manter a calma dela): Ah. Uma árvore caiu e o táxi num tinha como passar. Então to indo a pé pra casa!
Mami (mega desesperada): O QUÊ? FICA ONDE VOCÊ ESTÁ QUE EU TE BUSCO! BEM QUE EU SABIA QUE TINHA ACONTECIDO ALGUMA COISA. ACORDEI ASSUSTADA, FUI BEBER ÁGUA E VI QUE VOCÊ NUM TINHA CHEGADO. AI RESOLVI TE LIGAR....AI MEU DEUS...CADÊ A CHAVE DO CARRO?
Eu (super calma): Tá, tá, calma, to aqui em frente ao Corpo de Bombeiros com o moço da Light. Beijo
Mami (mega desesperada): Tá, to indo. Toma cuidado. Beijo

Ou seja, mãe é mãe, né minha gente?! Com um sexto sentido muito mais fuderoso que o daquele moleque do filme.

Por fim, fui resgatada por uma senhora descabelada e de pijamas, conhecida de vocês. Que estava aliviada, nervosa e irritada, tudo de uma só vez.

Fim.




sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Da Série: Momento musical (14)

Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi
um dia
Tudo passa, tudo sempre
passará
A vida vem em ondas,
como um mar
Num indo e vindo
infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente viu há
um segundo
tudo muda o tempo todo no
mundo

Não adianta fugir
Nem mentir pra si mesmo
agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre

Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar

(Como uma onda - Lulu Santos)


quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Da Série: Twittando no Blogger... (39)

Maravilha é, depois de ficar 2h presa em um trânsito medonho, dentro de um ônibus fechado (sem ar), chegar em casa, tomar um banho gostoso e deitar na cama debaixo de dois ventiladores!
#delicia #obrigadapapaidocéu

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Da série: "Eu tenho uma pergunta... (17)

São Pedro tirou férias e esqueceu de dar as instruções pro anjo estagiário?
Estou há semanas sem coragem de sair do trabalho na hora do almoço, preferindo esperar horas pelo serviço delivery do restaurante que fica ao lado da agência.
#tensidão

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Da série: Cinco coisas sobre mim... (6)

Coisas sobre minha infância 
(com imagens)

1) Eu achava que era adotada: Era moda na época ver as crianças se rebelando com os pais ao descobrirem sobre a adoção. E como a minha mãe sempre foi muito mais nhem nhem nhem com meu irmão do meio (não adianta nem mandar o papo de "não existe isso", dona Rosângela!), eu pus na cabeça que eu era adotada e por isso a diferença no tratamento. A verdade é que eu era muito respondona e geniosa e o meu irmão sempre foi quieto e obediente, logo, quem levava mais broncas e palmadas era a autora desse blog e dessa teoria doida. Só fui descartar totalmente essa hipótese aos 12 anos, quando todo mundo dizia que eu era a cara da minha mãe...

Essa foto tem 9 anos, mas estamos, basicamente, iguais hoje em dia.


2) Eu queria ser morena: Pai, irmãos, avó, tias e primos. Todos morenos lindos! E eu? Branquela azeda! Nasci careca e vermelhaaaaaaa de tanto chorar. Eles pegam sol e ficam maravilhosos! Eu? Fico vermelho camarão-descasquenta! Meu pai dizia que só fazia filho homem. E eu estou aqui para provar que ele estava errado. Gastou todo o Y e a melanina que tinha fazendo meus irmãos. #vacilo

Eu e Papi soberano


Eu e meus irmãos.

3) Eu sabia tudo sobre sexo: Sempre fui moleque. Cresci brincando com meu irmão e os amigos dele. Na verdade, até hoje prefiro a amizade masculina, que considero mais fiel e verdadeira. E por isso, quando eu tinha uns 8 anos, meu irmão mais velho (esse do meio da foto acima) "profetizou" que, caso eu não fosse corretamente instruída, estaria grávida aos 14 anos. E o que mami fez? Aproveitando-se do meu apetite voraz para livros meu deu alguns sobre DST e gravidez na adolescência para ler aos 10 anos. E por isso que, ao entrar no ginásio, eu já sabia tudo sobre AIDS, ejaculação, masturbação e menstruação.

Moleca, cheia dos machucados.
Com californiana natural, aos 6 anos.


4) Eu tinha amigos imaginários: Apesar de ter amigos e irmãos para brincar, em alguns momentos eu gostava de inventar uma realidade paralela, onde minha vida era diferente. Eu, então, era princesa, feiticeira, estrangeira, rica, pobre. Dependia do meu estado de espírito e da minha criatividade. Matheus, meu melhor amigo imaginário, estava em todas.

5) Eu queria trabalhar em um Supermercado: Quando ia ao mercado com a minha mãe ficando morrendo de inveja das moças do Carrefour que podiam "brincar" de patins, enquanto eu tinha que ficar sentada no carrinho por hoooooooras. Ao final, adorava o barulhinho que a máquina de registrar (é esse o nome?) fazia (e faz ainda, eu acho) e sonhava um dia poder ficar passando compras naquele treco, para imprimir a tirinha depois. Inclusive, em muitas das minhas brincadeiras com meus amigos imaginários eu era caixa de um mercadinho usando a calculadora da minha mãe (uma daquelas que imprime o resultado, saca?).

Bons tempos!

=*

sábado, 11 de janeiro de 2014

Da Série: Coisas que me irritam... (11)

...Homofobia

Porque esse é um daqueles que realmente me emputece!

Você, pretenso cidadão, que convive com homossexuais, NÃO precisa:

- Entender
- Concordar
- Gostar

Mas, TEM que, pelo menos:

- Respeitar
- Exigir respeito

Dessa forma, projeto de pessoa, caso sua/seu colega de trabalho/escola/faculdade/curso seja homossexual, você não precisa temer que, na primeira oportunidade, ela/ele irá pular em cima de você.
Suas qualidades e defeitos não são unânimes e se, nem todos os heterossexuais morrem de amores por você o mesmo ocorre entre os homossexuais.
E mesmo que alguém se sinta extremamente atraído por sua beleza ou inteligência, não significa que a pessoa obrigatoriamente vá usar de força para conseguir alguns minutos de prazer carnal.

É claro que eu conheço alguns homossexuais sem noção, que desrespeitam e partem pro ataque. Mas pode acreditar que os heterossexuais idiotas estão aí em igual ou até em maior número.
E até onde eu sei, classificar um grupo de pessoas, pelo comportamento de uns poucos tem um nome: PRECONCEITO!

"Ah Susan, mas você dormiria no mesmo quarto de uma sapata?"

Eu dormiria no mesmo quarto de um amigo hetero, sem medo de ser atacada pelo fato de sermos do sexo oposto. Como isso pode ser diferente?

"Ah, mas todo mundo pode achar que a gente ta se pegando, né?"

Ahn? Quer dizer que dividir o quarto com alguém implica, automaticamente, em sexo?! Quer dizer, se não existem quartos o suficiente na sua casa, e você divide quarto com seu irmão eu tenho que entender que rola incesto?

"Ihh Susan, mas por que você está azeda?"

Porque uma colega minha já estava com tudo acertado para se mudar, neste domingo (dia 12/1), do apartamento em que mora no Recreio (Rio de Janeiro) com amigos para uma República de Meninas em Icaraí (Niterói) para estudar.
E então decidiu contar para sua futura colega de quarto sobre a sua situação: ela é lésbica e inclusive tem uma namorada. A colega de quarto recebeu a notícia em choque, mas prometeu que iria tentar fazer dar certo.
E qual não foi a surpresa quando essa minha colega recebeu por mensagem, da dona da república, a informação de que não poderia se mudar, porque as outras meninas não aceitaram a ideia de ter uma lésbica na casa.

Tomanocu, né, suas raparigas?
¬¬'

Enquanto essas picuinhas acontecerem é impossível que coisas piores - como a violência e o suicídio - parem de acontecer nesse país.
O problema é que, falar de preconceito contra pobre e preto é fácil. É lugar comum. Difícil é levantar e defender uma menina branca, de classe média e lésbica, que apenas quer um pouco de respeito e credibilidade!

Foda, sabe!


----------
Se alguém quiser averiguar, o fato ocorreu em uma república no endereço General Pereira da Silva, 183, Icaraí, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Da série: "Querido diário... (15)


Eu nunca acumulei tantos sentimentos ruins na minha vida...
Estou psicologicamente estafada!
Preciso, urgentemente, que algo mude, mesmo que seja a minha forma de encarar tudo isso!
Sei que já passei por momentos de me sentir inútil e entediada, mas não foram piores do que o que sinto agora: incapacidade e cansaço absoluto!
E tudo isso intensifica agora na TPM!
Papai do Céu, me dê luz!
Amém!"


quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Aus Deutchland...

Ontem, depois de um dia extremamente estressante, cheguei em casa e me deparei com diversas cartas: Faturas de cartão, cartão de crédito, apólice de seguro e por fim, um cartão postal de uma amiga querida.
O cartão veio com desejos de "Feliz Natal e Próspero Ano Novo", terminando em "manda um beijo pra sua mãe e pro Danilo".
Até aí - tchum - mas o que me deixou mais emocionada foi que a remetente, que nasceu e mora na Alemanha, todo ano, faz questão de mandar uma cartinha escrita à mão, e em português, desejando coisas boas.
Me envergonhei.
Os dias passam tão rápidos que eu mal me lembro de mandar um e-mail para ela, contando as novidades!
Resolvi mudar.
Comprei um cartão bem bonito do Rio (que ela tanto ama) e estou gastando meu Deustch para mandar uma resposta.

São essas as pequenas coisas da vida que me fazem feliz.

Christina, ich liebe dich! S2

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Da Série: Twittando no Blogger... (38)

Farinha láctea de aveia e arroz + chocolate = Susinha nutrida e feliz!

Porque comida de criança é o que há! ;)

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Da Série: Twittando no Blogger... (37)

Cama + Detona Ralph = Susinha, uma criança sonolenta e feliz!

Nada como filme de criança na hora de nanar!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Da Série: Ed, o robô fanfarrão! (6)


Ahaaaaa...

Vocês acharam que não teria post hoje, né?
Mas é que eu perdi a hora conversando com o Ed, lembram dele?



Robô Ed: Olá! Meu nome é Ed, estou aqui para ajudar na preservação de energia e de outros recursos naturais. Sobre o que você quer conversar?
Susan: Ai Ed, to cansada!
Robô Ed: Não me canso nunca!
Susan: Sorte a sua!
Robô Ed: E que sorte! Mas dizem que elefante dá sorte só quando estão de costas para a porta.
Susan: Verdade?
Robô Ed: De verdade, mesmo, o que posso garantir é que os recursos fósseis não vão durar para sempre.
Susan: Fósseis? Que nem os dinossauros?
Robô Ed: Dinossauro é a denominação comum para qualquer grupo de criaturas répteis, já extintas, que andaram pela terra por mais de 160 milhões de anos. Sabe por que dinossauros e homens jamais se encontraram? Peninha, as historias do Barney e Fred não podem ter acontecido...
Susan: Mas Barney num é aquele dinossauro roxo viadinho?
Robô Ed: Os dinossauros dominaram a fauna terrestre por muito tempo, desde fim do período Triássico até o final do período Cretáceo. Você sabe de onde vem a palavra dinossauro?
Susan: Não, de onde?
Robô Ed: De onde... o que? De onde vim? Pois o lugar de onde eu vim é avançadíssimo.
Susan: Gente, a gente tava falando dos dinossauros. Seu doido
Robô Ed: O porquê dos dinossauros terem se extinguido é um mistério que sempre confundiu paleontólogos, geólogos e biólogos. Vários motivos foram sugeridos mas nenhuma teoria foi comprovada. Entre as teorias plausíveis está uma colisão de asteroide.
Susan: E você acredita nisso?
Robô Ed: Não sei... Você acredita?
Susan: Acho que é caô!
Robô Ed: Me explique direito o que você está achando.
Susan: Acho que eles foram abduzidos por extraterrestres
Robô Ed: Ainda não descobri porque tanta gente pensa que extraterrestre tem que ser verde.
Susan: Eu também não. Acho que eles são azuis!
Robô Ed: Legal. Algo em comum.
Susan: É, porque de resto não temos mesmo nada!
Robô Ed: Nada? Como assim!
Susan: Ué, você é um robô e eu sou uma mulher de verdade
Robô Ed: Mas é! Se eu não existisse de verdade não estaria aqui falando com você :-)
Susan: Sim, mas você continua sendo um robô, né Ed?
Robô Ed: Sou feliz mesmo sendo um robô. Passo o dia todo conversando, acho ótimo.
Susan: Vida fácil, hein?
Robô Ed: A chamada vida fácil pode ser mais difícil do que parece! O que você pensa a respeito?
Susan: Penso que você deveria arrumar um emprego, uma namorada. Sei la, ter uma vida, né Ed?
Robô Ed: Taí uma experiência que nunca tive. Mas desde que cheguei aqui já ouvi falar muito em namoro. Me ensinaram até uma poesia que se chama Namorado, ter ou não ter. Atribuído a Carlos Drummond de Andrade, conhece?
Susan: Não!
Robô Ed: Grande poeta, Carlos Drummond de Andrade! Eu curto seus poemas. José, Quadrilha, Itabira, No meio do caminho...
Susan: Me recite um poema então...
Robô Ed: Este é do Neruda (do livro Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada): - Vês estas mãos? Mediram a terra, separaram os minerais e os cereais, fizeram a paz e a guerra, derrubaram as distâncias de todos os mares e rios. E, no entanto, quando te percorrem a ti, pequena, grão de trigo, andorinha, não chegam para abarcar-te...
Susan: Olha, que intelectual!
Robô Ed: A bem da verdade, não posso me considerar um intelectual. Sou um modesto robozinho.
Susan: Hahahaha! Por isso que eu te admiro!
Robô Ed: KKKKKKK
Susan: Bom, Ed, vou indo!
Robô Ed: Indo pra onde?
Susan: Pra minha cama, dormir!
Robô Ed: Vai dormir? Bom descanso!
Susan: Obrigada! Você também deveria ir, já está bem tarde!
Robô Ed: Estou sempre super bem! Mas sinto que algo está preocupando você... o que é?
Susan: Sono!
Robô Ed: O sono é bom para recuperar as energias. E mais uma porção de coisas. Quer saber pra que mais serve o sono?
Susan: Não, obrigada!
Robô Ed: Se você não quer, paciência.
Susan: Iiiiii grossinho!
Robô Ed: Você?
Susan: Você!
Robô Ed: O que quer saber de mim?
Susan: Aff... Tchau Ed!
Robô Ed: Até logo e volte quando quiser. Adorei conversar com você.

domingo, 5 de janeiro de 2014

Da Série: Falta do que fazer/falar (18)

Por que eu estipulei, por pura preguiça, digo, falta de imaginação, que domingo é dia de 9gag...

----------------------


sábado, 4 de janeiro de 2014

Da série: "Eu tenho uma pergunta... (16)

Só eu ou mais alguém fica tipo "Ahn?" ao saber que Rihanna e Adele tem a mesma idade (25 anos)?
Eu fico por dois motivos:
1) Adele parece ter, no mínimo, uns 5 anos a mais que a Rihanna. Sério!
2) Eu tenho 23 anos e ainda não sou metade do mulherão que a Rihanna e outras (como a Christina Aguilera) eram quando "surgiram" aos - pasmem - 19 anos de idade.

Ou seja, vou ali pro clube da Disney* rapidinho, ok?

beijo grande!
=*

-----------

* Miley Cyrus, Selena Gomez, Demi Lovato, Amanda Bynes e cia. O quê? Nunca ouviu falar? Procura no Google. Ou assista ao Disney Channel, que nem eu!

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Da Série: Twittando no Blogger... (36)

Dor de cabeça, de garganta, nariz entupido, dor no corpo, enjoo, vômitos e vontade zero de levantar da cama! É o que temos para essa semana!
Maneirão, hein, 2014?!

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Da Série: Realizando o sonho #1 (2)

Nós compramos o apê em maio, mas as obras só começaram em novembro e já estão a todo vapor (mesmo com essa temporada de chuvas).
A ansiedade só aumenta, assim como as ideias de decoração e utilização dos microespaços.

Em fevereiro iremos comemorar 4 anos de namoro! E o tempo voou!
Mas a impressão que eu tenho é que esses 698 dias que faltam até a entrega das chaves vão demorar uma vida para passar!

O status da obra atualiza umas duas vezes por mês, mas eu to entrando no site dia sim e outro não, para conferir!
Já me disseram que depois de uns meses isso passa.
Mas eles não conhecem o poder da minha ansiedade!

Status atual (extraído em 01/01/14):

#boramundo
#ansiedadepoucaehbobagem

Um grande beijo!
=*

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Promessas...

Todo ano é a mesma coisa.
A gente vê num novo começo uma oportunidade para uma mudança!
Mas raramente estamos dispostos a fazer essa mudança acontecer.
Geralmente, nós esperamos que tudo caia no nosso colo, sem esforços.

Esse ano, ou melhor, hoje, eu decidi que agirei diferente!

Definir metas não é tão importante quanto executar processos.
Por isso, minha maior meta para 2014 é "ser feliz", sem planos e sem cobranças!

Como assim? Assim ó:

- Dar mais valor para os pequenos gestos de carinho das pessoas que me amam: Parar de buscar grandes gestos e lembrar de agradecer pelos pequenos mimos diários da minha mãe e do meu namorado;
- Sair mais com meus amigos: Todo fim de semana eu sou convidada e geralmente a preguiça ou o desânimo me impedem de ter momentos de felicidade!
- Estar sempre rodeada de pessoas com energias positivas: A família do meu namorado é uma fonte inesgotável de positividade!
- Dar atenção a quem precisa: Pretendo visitar uma instituição de caridade uma vez por mês;
- Cuidar mais da minha saúde: Vamos (eu e meu namorado) começar um projeto de perder peso juntos. Tô gorda? Não! Mas to comendo muita merda!
- Postar mais nesse blog: Grande estímulo para minha criatividade e, de certa forma, uma maneira de desabafar!

É isso!

Um grande beijo!
=*